terça-feira, 11 de março de 2008

Corrente de Ar


Hoje opto por lançar mais uma polémica que, sublinhe-se, nem sempre condiz com a opinião do "visado" mas facilmente é anexada pela mesma pessoa à "porta do vizinho". Falo da fidelidade e das correntes com que se alinhava o acordo em forma de promessa com validade dúbia.

Obviamente que todos querem ser fieis, todos querem fidelizar... Mas também todos desejam morder a maçã de preferência "oca" - nem que seja por instantes ou em sonho circunstancial. Tudo depende das perspectivas, dos acordos, das responsabilidades e, não menos importante, da lei da "oferta e da procura".

Mas o que mais me incomoda é o não saber usar a balança para "medir" o tamanho das correntes e não se aprender com as "queimadelas" da vida. É que por mais cadeados que se juntem, há sempre uma chave pronta a abrir toda e qualquer fechadura... Bem, aqui alto e pára o Baile, é que se a porta estiver fechada não é preciso fechadura e, por consequência, não há chave que a abra.

É por estas e por outras que o melhor mesmo é não deixar a porta "entreaberta", não vá uma "corrente de ar" matar a "minhoca", seja ela feminina ou masculina.

13 comentários:

@nn@ disse...

tem "deZafio" no meu blog !

Sandra T disse...

A tentação...
Deve ser lixado aparecer o "diabo em forma de gente".
Mas claro que o problema está mesmo na porta aberta, disponível.
Depois há situações e situações:
há gente que a abriu na adolescência e apesar dos compromissos, nunca fechou;
há gente que tem falta de amor e a porta está aberta sem mesmo se aperceber que a tem aberta;
há gente que a abre como vingança...
Etc,etc,etc.
Existe, desde sempre.

Bárbara disse...

pior que qndo da certo morder essa maça uma vez, da vontade de comer até o final =P

Gerlane disse...

Decerto, a imprevisibilidade é sempre uma hóspede em nossa vida, amigo. Por um motivo ou por outro, tudo pode acontecer.

Beijos pra ti!

Olá!! disse...

Há as falhas, a carência, o inesperado,o vício, a adrenalina...
Muitas situações levam a um acto de traição.
Há a traição do pensamento, aquela que se sonha e não se faz... e que deve ser uma terrível frustração.
E há também aqueles que não entendem os sinais e tentam abrir portas à força...forçar as traições...
E quem abre a porta aBerta quando aBerta está a porta???? (não é bem assim, mas adapta-se ao tema)

MIMO-TE disse...

Ora nem mais!!!! :)))
Eu diria se o coração está cheio de amor, não pode encher mais... certo??? Se enche é porque à espaço...depois cada um decide o que deve ou não fazer....

Tinha saudades de estar aqui :)
Bjo
Mimo-te

Aninha disse...

Ora aqui está um tema que me perturba por muitas e variadas razões. Sempre fui de não querer ter nem colocar fechaduras, trocando-as pela mão no fogo até ao dia em que me queimei. Aí também não recorri à chave porque deixei de pensar em portas ou mesmo em limites mas a vida prega-nos partidas e quando damos conta às vezes estamos a subir o muro do vizinho e a pisar terreno alheio ou a olhar para as portas giratórias à espera que passe o vidro e surja a oportunidade para entrar. Enfim... não é fácil!!! :)

liamaral disse...

Sempre atenta!!

Sunshine Jana disse...

Eu costumo dizer que ninguém ocupa um lugar ocupado, ...depois só se for no colo...risos...agora por vezes andam muitos vazios por aí á procura de ser preenchidos com vento e tempestades...

Mize disse...

Quando se tem o que sempre se quis...não há mais nada.

macaw disse...

por acaso a traição é algo que me custa perceber. eu não condeno quem opta ou gosta de estar com várias pessoas ao mesmo tempo. mas não aceito e não entendo, por que se há-de comprometer com uma pessoa para depois estar-se com várias. esta situação só causa dor e sofrimento ao outro sem necessidade nenhuma, pois é uma grande falta de respeito para com o outro e significa que não há amor. ou se está ou não se está com uma pessoa. neste aspecto (utilizando uma expressão que a Blue escreveu há pouco tempo) não há uma relação mais ou menos. ou estamos ou não estamos com uma pessoa.

Black Kittie disse...

Todos somos uma porta aberta aos sentimentos, ao afecto.
Nem sempre se procurou o que se encontra, a vida é que nos escolhe...

bjs

Espatódea disse...

è um tema complexo, difícil... mas acredito que a mente é sempre livre e que nao existem correntes que a prendam ou cordas que possam amarrá-la... è uma questao de deixá-la à vontade sempre... sem gaiolas é sempre mais poética a vida!!!